terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Uma carta

“Caro A.,

Encontramo-nos outro dia por acaso; e tu me pareceste grave. E deste mesmo modo me olhaste, entretanto, com um sorriso nos lábios. Sorriso que não pude compreender o sentido nem desvendar o significado. Poderia alguém alegar sê-lo pura formalidade, mas eu não acreditaria. Não, sendo um sorriso teu, para mim.

Naquele momento, ainda que sem querer – mentira, eu queria, sim – apreendi tua alma e soube imediatamente, instintivamente, como foram esses dias para ti. Dias que valeram por uma vida. Não olhei para trás. Tampouco deveria.

E, assim, tu me ressurges.

Encontro-te novamente. Mas, dessa vez, olho para trás. Não, tu não estavas lá. Não foi para ti que olhei, mas para o passado. E não te encontrei apenas, mas encontrei a ti, a mim e a nós. Dito isso, não sei o que dizer nem o que pensar.

Aliás, sei, sim, o que pensar: como? Quando isso nasceu de novo? Foi quando tu perguntaste por mim ou quando nos encontramos novamente? Arrisco-me a dizer que foi em todas estas ocasiões. Quando perguntaste por mim, nasceu. Quando nos encontramos, nasceu. Quando, ainda há pouco, te encontrei, cresceu. Agora, sim, não sei mais o que dizer nem o que pensar.

Mas sobra-me ainda a curiosidade aguçada pela tua visão. O que a vida fez de ti, meu caro? Os dias foram-te muito amargos? Olhaste-me tão doce e gravemente que só pude imaginar isto.

Devo confessar, todavia, que esta suposição minha, em nenhum momento, fez-me sofrer por ti. Na realidade, pude perceber em teus olhos – eu olhava para teus olhos ou para tua boca quando nos encontramos? Claro! Agora me recordo: eu te olhava inteiro, mas só enxergava os olhos e a boca. Na realidade, pude perceber em teus olhos tácito amadurecimento. E isso é bom, meu querido.

Não desejo cansar-te muito, desse modo, encerro-me por aqui. Antes, porém, eu te desejo paz.

A vida é doce, querido.
Acredite-me.

Atenciosamente,

L.”

2 comentários:

Júnior disse...

É romântico sim! E muito. :x Humpf

Ayza disse...

É bonito, fato! Sincero e direto.