quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Sobre eles

Ela afundou o corpo nele o mais que pôde, como se assim pudesse aprisionar um instante, como se assim pudesse aprisionar o amor. E ele, querendo as respostas que a vida não lhe entrega e que só uma mulher é capaz de abrigar dentro de si, puxou os seus quadris com a ânsia de escorregar para dentro dela e ali ficar. Só uma fêmea é capaz de dividir-se assim ao meio: a metade de baixo a sobrepor-se forte, desfalecendo as resistências do macho e a de cima a ampará-lo doce, beijando e acarinhando os medos de um filhote.

Rita Apoena

5 comentários:

JúNiOr_DeSeNhO disse...

PuTz!

Muito Sexo!

Que baixaria! kkkkkkkkkkkkk
(Brincadeirinha)

Realmente a mulher tem o ninho acolhedor... Mas o homem tem... Não falarei mais...

LaraSu disse...

Não é só sexo. É muito mais que isso: é amor.
Sexo, por vezes, pode ser baixaria. Amor, não.

**Mah** disse...

Amoe é isso.. sexo é aquilo.. e coisa e tal.. e tal e coisa.. uuhhuuhhuhh

=)

Meire disse...

Parabéns pelo blog, menina!
Não conhecia esse poema, muito bom! Grande Rita! rs

Rafael R. disse...

ninho acolhedor...

Não falarei mais...[2]kkkk.